O Começo - Conversa com Lei Keylosh sobre a saída de Terânia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Começo - Conversa com Lei Keylosh sobre a saída de Terânia

Mensagem por Admin em Qua Jan 15, 2014 7:13 pm

Lei Keylosh, o que você e Sieg Hart fizeram para que fossem perseguidos até a morte em Terânia?

Você já foi acusado de algo que não fez? Como reagiu à isto? Ficou quieto e aceitou as acusações, ou tentou provar que era inocente, sabendo que era inocente? O Adeptus Administratum havia acusado a mim, Sieg, e outros Imperiais de crimes que não cometemos. Nós precisávamos provar nossa inocência, principalmente porque as acusações haviam manchado nossa reputação com a população do Império.

Por que acha que Sieg Hart aceitou realizar isto com você?

Ora, porque ele também foi acusado injustamente. Eu, Sieg e todos os Cavaleiros Imperiais sempre demos nossa vida pelo Império. E como aqueles nobres agradecem? Espalhando cartazes pela cidade com acusações infundadas. Isto deixou até mesmo alguém como Sieg nervoso. Quando eu lhe falei da ideia, ele não pensou duas vezes em aceitar. Mas ele, assim como eu, sabíamos que nada seria igual depois do nosso ato.

Que ato foi esse?

Nós invadimos o prédio dos juízes nobres de Terânia. Eu reuni um batalhão com meus homens mais fiéis. Antes, porém, eu enviei mensagens a todos os outros Cavaleiros Imperiais e aliados, porque eu sabia que se as coisas lá dessem errado, eles também seriam perseguidos. Partimos, enfim. Sieg Hart estava comigo e também minha filha Hatsuko.

Sua filha Hatsuko? Ela não era uma das acusadas?

Sim. Ela era acusada de matar dois homens na rua à plena luz do dia. E ela realmente matou. Mas eram assassinos e estupradores. Eu ia convocar um julgamento popular e ela teria que realizar trabalhos comunitários, no máximo.

Não acha que estava protegendo sua filha, usando de sua posição para isto?

Eu não acho. Eu tenho certeza. O que você faria se fosse sua filha? Deixaria ela ser linchada pela população, ou trancafiada em uma masmorra pelo resto da vida? Eu usaria o fato de que ela matou homens perversos para reduzir sua pena. O único erro de Hatsuko foi ter matado aqueles homens no meio da rua da cidade. Mas eles eram malignos e mereciam morrer. Eu cansei de tentar agir de forma diferente. O mal deve ser combatido sem piedade.

Então vocês invadiram o prédio do Adeptus Administratum...

Sim. Rendemos todos os nobres e usamos uma magia para transmitir o que estava acontecendo para a população da cidade. Assim, todos poderiam ver o quão tendenciosos e errados estavam aqueles juízes. Sieg Hart leu as acusações e eu respondi a cada uma delas. Os nobres falaram sobre algo que aconteceria dali há 12 horas. Não demos atenção a princípio, mas sabíamos que algo muito ruim aconteceria. Eu sabia que eles mandariam tudo o que tinham em cima de nós. Inquisição, Legiões, todos os agentes reguladores do Império, e com apenas um objetivo: Matar-nos.

Foi aí que decidiram fugir antes que as 12 horas se completassem.

Exato. Nós já havíamos transmitido nossa mensagem. O que a população faria com aquela informação, caberia a eles decidir. Eu, Sieg e os outros sabíamos que só havia duas possibilidades: Os nobres aceitam nossas respostas e retiram as acusações... OU... Eles mandam tudo o que tinham para nos matar. A segunda acabou acontecendo, como prevíamos. O bairro todo da cidade flutuante estava cercado. Por fim, as forças do Império estavam em maior número e fomos capturados. Devido à influência da filha do Imperador, com a qual eu tinha muito afeto, os sobreviventes, incluindo eu e Sieg, fomos liberados e banidos do Império.

E quanto tempo levaram para chegar até as comarcas centrais?

Cerca de três dias. Minami e Hatsuko caçavam nossas refeições e eu e Sieg vigiávamos a fogueira. Também nos revezávamos para que Hatsuko pudesse dormir. Eu não me lembro de ter dormido durante estes três dias.

Foram direto para Lagus, em seguida.

Sim. Foi o único lugar no qual pensei onde eu sabia que a Inquisição nunca iria se aventurar. Os seres mais estranhos e poderosos do continente frequentam esta região. Eles precisariam de no mínimo um plano para nos alcançar. Estar em uma cidade com muros nos ajudaria mais ainda. Eu me lembrei de Ryuji Drak e fomos conferir se ele ainda era o prefeito de Lagus.

Ele lhes deu abrigo e alimento e curou seus ferimentos. O que acontece agora?

Em primeiro lugar, iremos agradecer Ryuji pela hospitalidade ajudando-o no que pudermos. Em segundo lugar, temos que esperar os outros Cavaleiros e aliados, pois nosso ponto de encontro é aqui. Há mais aliados espalhados por outros reinos que estão perdidos e iremos atrás de cada um deles, pois eles ajudaram em nossa fuga.

É o começo de um novo grupo sem leis e sem falsa justiça. Viveremos livres, ao nosso modo, e faremos o bem do nosso jeito.
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 406
Data de inscrição : 13/01/2014

Ver perfil do usuário http://novaordemrenegada.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum