A missão de Lyanna Stark (Descontinuado)

Ir em baixo

A missão de Lyanna Stark (Descontinuado)

Mensagem por Admin em Seg Jul 14, 2014 3:46 pm


Lyanna Stark


Narrador
*A calmaria da vida de Lyanna no Norte seria quebrada um dia com um pedido de seu pai Rickard. Lyanna já tinha idade suficiente para viajar sozinha e seu pai confiava nela. Rickard pediu a ela para que fosse até uma cidade ao sul para supervisionar a compra e venda de materiais e especiarias diversas, como parte do acordo com aquela cidade ao sul.*

*Ela seria acompanhada por cinco soldados (ou quantos ele poderia dispor) e a carroça onde os suprimentos estavam. A cidade se chamava Lagus, e Rickard entregou um mapa e deu direções a ela e aos soldados. Ele disse a ela para que procurasse o responsável pelas transações comerciais da cidade assim que chegasse. Caso fosse necessário, ele daria moedas de ouro a ela suficientes para que ela e os homens ficassem um ou dois dias em Lagus, antes de retornar.*

Lyanna
*Lyanna mal podia acreditar naquela ideia fantástica de seu pai! A jovem Stark já tinha visitado Lagus há alguns anos atrás quando a família fora convidada para participar de um torneio em honra do aniversário do Senhor de Lagus, então o caminho não era totalmente desconhecido e estranho para ela. No dia seguinte às instruções de Lord Rickard e após preparar tudo para a pequena viagem, Lyanna botava sua capa azul escura e despedia-se gentilmente de seu pai e irmãos. Com sorte, se a estrada estivesse em boas condições, voltariam no dia seguinte, com tranquilidade e com sucesso na transação. Era acompanhada pelos cinco soldados Stark e um porta estandarte, que carregava a bandeira com o brasão do lobo cinza da família.*
- Mal posso acreditar que estamos saindo de Winterfell..! Tomara que corra tudo bem em Lagus!
*Sorrindo, Lyanna comentava baixinho com seu cavalo, e fazia um carinho em seu pescoço, animada para aquela pequena aventura.*

Narrador
*A pequena caravana partiu então, rumo ao sul. Os soldados estavam devidamente armados, já que a estrada podia ser perigosa, mesmo que muitos trechos pelos quais passariam eram protegidos por guardas das cidades ao redor. Não esperavam problemas, entretanto, já que a carga não era tão valiosa e a transação era sigilosa, pelo menos da parte dos Stark.*

*Saíram aos primeiros raios da manhã e, conforme avançavam ao sul, Lyanna percebia a mudança de temperatura. Ficava mais quente a cada hora de viagem e Lyanna talvez quisesse tirar a capa, pelo calor que fazia. Calor se comparado ao Norte, claro. Ali, os habitantes já estavam acostumados, o que era percebido nos mercadores e soldados que ficavam pelo caminho.*

*Um dos soldados, aquele que cavalgava ao lado de Lyanna, retirou o elmo e enxugou o suor da testa.* Pelos deuses, milady... Seu pai se esqueceu de nos avisar que o sol brilha mais forte por estas comarcas.

Lyanna
*O calor ficava realmente pior conforme iam avançando mais ao sul. Como não estava acostumada com aquelas temperaturas, após umas duas horas de viagem Lyanna retirava a capa que levara e amaldiçoava mentalmente aquele calor quando sentia um pequeno filete de suor escorrer por seu pescoço. Bebia um pouco de seu cantil para manter-se hidratada e apesar de estar usando um de seus vestidos mais leves e frescos, começava a suar também. Incomodada, ela olhava na direção do soldado que lhe dirigia a palavra e concordava, deixando escapar um suspiro*
-Sim, é verdade.. está insuportável! Talvez seja melhor pararmos no próximo rio para descansar e reabastecer nossos cantis!
*Abrindo o mapa, a jovem conseguia identificar um pequeno riacho a mais uma hora do caminho, o que era um verdadeiro alento*

Narrador
Concordo plenamente, milady. *Respondeu o soldado com a garganta seca, fazendo um sinal aos outros homens. A pequena caravana pararia à beira daquele riacho, que ficava em uma parte da estrada entre dois postos de guarda. Era uma parte um pouco isolada. Por isso, dois dos guardas ficaram a postos na direção das árvores, protegendo a carga, enquanto Lyanna e os outros foram se refrescar. Os soldados beberam a água e se molharam bastante. A armadura agravava o calor. Lyanna poderia se afastar para ter privacidade, se quisesse.*

Lyanna
*Ao primeiro relance que via do riacho, Lyanna abria um enorme sorriso, aliviada ao pensar que finalmente poderia se refrescar um pouco. Combinava com os soldados que ficariam uma hora ali para poderem descansar o suficiente sem atrasarem muito a viagem. Quando chegavam à margem, trazia seu cavalo para beber água também e ajoelhava-se para molhar o rosto e o pescoço e reabastecer o cantil. Então amarrava as rédeas do animal a um tronco da árvore e sentava-se na sombra da mesma, fechando um pouco os olhos ao sentir-se melhor, relaxando*
- Hm.. que bom que paramos um pouco Nevasca..! Já me sinto bem melhor!
*Comentava com seu querido cavalo, com um sorriso nos lábios. Lyanna voltava a abrir os olhos e olhava para o riacho à sua frente, tentada a dar um mergulho.*

Narrador
*Os cavalos que puxavam a carga também beberam água, permanecendo na sombra das árvores. Não havia nenhum sinal de perigo e os sooldados estavam distraídos. Ela teria tempo de sobra para um mergulho, até porque os soldados viajavam em função dela. Lorde Rickard não poderia ter sido mais enfático ao dizer a seus homens para proteger a moça. Mas era claro que eles seguiriam ordens dela também, caso as desse.*

Lyanna
*Depois de refletir sobre os prós e contras de um pequeno mergulho, Lyanna resolvia se dar aquele pequeno luxo e avisava aos soldados que se afastaria um pouco mais para entrar na água. Caminhava até ter uma distância segura para ter privacidade mas não muito longe de sua guarda caso algo acontecesse. Dando uma última olhada ao redor, ela tirava o vestido, os sapatos e as roupas de baixo, prendia o cabelo no alto da cabeça e entrava com cuidado no riacho. Sentia um grande arrepio com a temperatura fria da água mas se acostumava rapidamente, sentando-se encostada a umas pedras e inclinando a cabeça ao sentir-se mais relaxada*

Narrador
*Os soldados fizeram um afirmativo para Lyanna e permaneceram em seus postos. Bem, Lorde Rickard disse para que protegessem a moça, mas não disse nada sobre dar uma espiada. Dois deles se aproximaram, permanecendo atrás de uma pedra no curso da água, tentando olhar Lyanna de lá. Furtividade não era o forte deles, portanto Lyanna poderia perceber a presença deles, seus olhos buscando o corpo dela, que estava totalmente submerso.*

Lyanna
*Sempre muito atenta, Lyanna ouvia a aproximação de passos e ficava nervosa, encolhendo-se um pouco mais na água e sentindo o coração acelerar. A primeira ideia que lhe vinha à cabeça é que poderiam ser apenas camponeses passando por ali ou bandidos. Virava-se com cuidado para trás para tentar ver quem seriam os curiosos que estavam estragando seus poucos minutos de descanso e privacidade.*
- Q-quem está aí..?
*Conseguia ver uma pequena movimentação por trás de umas pedras não muito longe dela e engolia em seco, sem saber muito bem o que fazer*
- Eu sei onde estão e os meus soldados não estão muito longe daqui... se eu gritar, chegarão aqui em segundos!
*Sua voz soava um pouco trêmula apesar da ameaça ser verdadeira.*

Narrador
*Ao ver que a estratégia não havia funcionado, um dos soldados voltou correndo para sua posição original, onde estavam os cavalos. O outro foi mais esperto. Ele saiu de trás da pedra e se aproximou, ligeiramente ofegante.* Milady! Não se preocupe, está tudo bem! Era apenas um... bando de garotos camponeses curiosos... *E pigarreou fortemente, esperando que conseguisse convencê-la disso.*

Lyanna
*Do ângulo em que estava não conseguia ver o soldado que saíra correndo, apenas encolhendo-se mais na rocha, assustada. Arregalava os olhos ao ver o outro soldado sair de trás da pedra e corava bastante, fitando-o bastante nervosa. Mantinha todo o corpo submerso e escondido atrás da rocha em que estava encostada anteriormente. Obviamente ela não acreditava naquela história, principalmente que não teria como ele ter chegado tão rápido ali sem que ela ouvisse seus passos. Estreitando um pouco os olhos, ela observava o soldado com bastante atenção e depois dava um pequeno sorriso, fingindo acreditar nele*
- Oh, mas que bom que chegou a tempo, Sir! Obrigada, pode voltar a seu posto..
*Ficaria de olho nele o resto da viagem e certamente seu pai saberia daquele comportamento inadequado de seu soldado*

Narrador
*O soldado responderia de imediato.* Sim, senhora! *E voltaria rapidamente à sua posição inicial, com os demais companheiros, longe dali. Lyanna não seria mais importunada.

Antes de terminar seu banho, porém, foi surpreendida por uma outra presença. A distração com o soldado a impediu de notar uma figura obscura presente entre duas árvores próximas. Era uma pessoa esguia, trajava vestes negras e seu rosto era coberto por uma máscara e um capuz. Ele se aproximou muito rápido, antes que ela pudesse sair da água. Ele permaneceu sobre a grama, fitando-a, e falou. Era uma voz masculina e estranha, abafada pela máscara.*

Não minta a si mesma, milady. Você apreciou os olhos daqueles homens sobre você. Você gosta de ser apreciada.



Lyanna
*Suspirava após o soldado se afastar, imaginando se teria algum momento de paz durante aquela viagem. Ajeitava o cabelo no alto da cabeça novamente e levava água ao rosto, fazendo uma concha com as mãos. Quando voltava a abrir os olhos via aquela figura estranha entre duas árvores e tomava um susto, arregalando os olhos e se encolhendo novamente atrás da rocha, nervosa. Piscava algumas vezes, pensando que era apenas peça pregada por sua mente e então o via mais perto e levava as mãos aos lábios, abafando um pequeno grito pelo susto e caía sentada*
- Aah! Q-quem é você...?
*Olhava para aquele homem estranho e misterioso, com a respiração ainda ofegante e voltando a se esconder atrás da rocha. Um leve rubor invadia seu rosto pelo comentário maldoso dele e por perceber que estava sendo observada mais uma vez*
Narrador
[ Ao contrário da imagem, ele não tem nenhuma arma. ] *Ele permaneceu na mesma posição, com as mãos atrás das costas, observando-a, e logo respondeu.* Quem eu sou não é importante no momento, milady. O que importa é a senhorita... E sua carga. É uma pena que seus soldados não sejam treinados para avistar inimigos furtivos. Eu os segui há um bom tempo, e fizeram-me um favor ao parar nesta pequena floresta.

*O tom dele era ligeiramente irônico, como se ele se gabasse por ter conseguido aquilo.* Ah, e não se preocupe em gritar por seus homens abusados... Eles beberam da água deste rio e cairão em sono profundo. Aliás... Milady também o fez, não?

Lyanna
*Ouvia as palavras dele com o choque ainda do susto. Observava-o de cima a baixo e levava uma mão novamente aos lábios, empalidecendo ao saber que era uma emboscada. Não era possível! Como aquilo fora acontecer? Seu pai enviara os melhores soldados para protege-la! De certeza que teriam o visto.. ou então ele era muito bom mesmo...*
- Não.. não é possível...!
*As próximas frases ela já não escutava muito bem, como se a voz dele estivesse longe. Lyanna lutava contra o peso de suas pálpebras, que teimavam em se fechar. Colocava as mãos na rocha como se tentasse se segurar, sem muito sucesso. Anestesiada, ela demorava um pouco a compreender o que ele queria dizer mas então pegava um pouco de água com as mãos e olhava para ela, como se tentasse ver algo de magia ali*
- A... água...? Não...
*Então seus olhos finalmente se fechavam e ela encostava-se na rocha, caindo no sono profundo*

Narrador
*A última imagem que Lyanna registrou foi o homem se aproximando enquanto ela caía, preparado para pega-la. Quando ela recobrou a consciência, viu-se em um calabouço, com paredes úmidas de pedra. Estava nua ainda e deitada sobre um amontoado de palha. A luz das velas do outro lado das grades oferecia uma luz precária. Estava muito frio ali e não havia sinal de seus soldados.*

Lyanna
*Quando acordava demorava um tempo para voltar à realidade, sentindo a cabeça pesada. A primeira coisa que sentia era o frio e então se encolhia, percebendo que estava nua. Um rápido filme passava em sua memória, relembrando o estranho homem e que caíra em sono profundo durante o banho e entrava em pânico, se sentando e abraçando o corpo, olhando para os lados, bastante nervosa.*
- Ai.. onde eu vim parar..?
*Engolia em seco ao ver que estava num calabouço e sentia a pele se arrepiar pelo frio que estava fazendo. Esfregando os braços para tentar se aquecer, via uma pequena luz do lado de fora mas não conseguia ver mais nada.*
- Tem alguém aí..? Eu preciso das minhas roupas..! Estou congelando...!
*Saía uma pequena fumaça de sua boca enquanto falava e aquilo a fazia sentir ainda mais frio, estremecendo e se encolhendo ainda mais. Como ele pudera a deixar presa e naquele estado? O mínimo que podia ter feito era vesti-la!*

Narrador
*Ninguém respondeu de imediato à suplica dela. Demorou algum tempo até que uma figura parasse à frente das grades. Era o mascarado da floresta. Ele retirou uma chave de suas vestes e abriu a porta da cela, adentrando a mesma. Carregava consigo o vestido dela, deixado lá quando ela foi se banhar. O mascarado falou, ainda afastado dela.*

Muito bem, milady. Temos que ser rápidos antes que as buscas por você comecem. Serei direto e breve. Caso desejar estar vestida novamente, você ouvirá o que tenho a dizer atentamente. *Caso Lyanna se movimentasse, perceberia que o alcance total das correntes não a permitiria se aproximar dele.*

Lyanna
*Ficava surpresa ao ver o mesmo homem mascarado se aproximar e adentrar a cela com seu vestido nas mãos. Tentava se aproximar dele mas só agora percebia que estava presa ao tentar se levantar e fugir. Olhava para as correntes com um pouco de raiva mas respirava fundo e levantava o rosto para o fitar, com o semblante sério.*
- O que você quer..?
*Não gostava nem um pouco daquela ideia e já imaginava que não viria algo bom dali mas era sua única opção*

Narrador
*O homem permaneceu em pé, segurando o vestido dobrado com as mãos, enquanto respondia.* Chegou até mim a informação de que você deveria levar a carga até a cidade de Lagus, correto? Há uma pessoa nesta cidade de grande interesse a mim. Sua tarefa é simples: Encontre esta pessoa e dê a ela um líquido de um frasco que eu entregarei a você. Simples não?

*O homem então se agachou, fitando-a no mesmo nível.* Como conferiu na floresta, eu sou um especialista em venenos, milady. A substância que eu coloquei na água do rio era tão concentrada porém tão indetectável que você e todos os seus homens dormiram. Enquanto estava inconsciente, eu a fiz ingerir uma substância que a matará em 24 horas. Apenas eu tenho o antídoto. Isto garantirá que você voltará para mim.

Lyanna
*O observava com atenção e estreitava os olhos ao ouvir aquela simples e aparentemente inofensiva tarefa. Então recebia a notícia do veneno e empalidecia, sentindo o coração disparar. Lyanna se encolhia mais, balançando levemente a cabeça e imaginando como um homem seria capaz de fazer algo tão terrível e egoísta. Com certeza o havia subestimado e agora que sabia que ele amaldiçoado a água do rio, seria muito mais atenta e cuidadosa com ele. A jovem dama balançava a cabeça timidamente numa afirmação*
- Está bem.. eu irei! Mas por quê eu? Tenho certeza que milhares viajantes passam por aquela estrada e vão a Lagus..

Narrador
*O mascarado respondeu de imediato.* Ora... Assim que estiver feito, nunca desconfiarão da filha de um respeitado patriarca do norte. Você sempre será a vítima, não importa o quanto desconfiem de você. Você poderá dizer que foi atacada por bandidos, mas que conseguiu escapar. Ou mesmo que se perdeu no caminho. Há muitas coisas que pode dizer e ninguém teria mais prestígio para adentrar a cidade. A espiã perfeita.

*O homem se levantou.* Sabia que seria inteligente o suficiente para aceitar minha proposta. Algumas pessoas, mesmo sob estas condições, recusam, e acabam apodrecendo nestas masmorras. Explicarei os detalhes assim que estiver preparada.

*Ele se postou no lado de fora da cela e fez um sinal com a mão. Para a surpresa de Lyanna, uma moça adentrou a cela. Ele lhe deu uma pequena chave e a moça, uma garota de cabelos pretos que não devia ter mais que 18, soltou os grilhões de Lyanna. O mascarado completou.* A masmorra foi apenas para assusta-la. Ingrid, leve-a até o aposento superior. Dê-lhe um banho e ajude-a a colocar o vestido. Mas sejam rápidas.

Lyanna
*Realmente a linha de raciocínio dele estava correta, ninguém desconfiaria dela e aquilo a deixava ainda mais angustiada, pois provavelmente estaria sentenciando alguém à morte. Fitava-o com cuidado e respirava fundo ao se imaginar naquela masmorra por anos e anos, estremecendo só com o pensamento. Então via uma moça não muito mais velha que si mesma vir e liberta-la daquelas correntes, ficando ainda mais surpresa com as palavras seguintes do mascarado. Olhava para a serviçal e para ele, imaginando que deveria ser alguém nobre ou poderoso para ter criados e até um calabouço próprio. Lyanna dava um pequeno sorriso para a jovem e agradecia ao ser liberada, massageando os próprios pulsos*
- Obrigada, Ingrid...
*Se levantava com cuidado, ainda um pouco lerda do veneno e dolorida por ter adormecido em uma posição desconfortável. Observava-o uma última vez, com curiosidade enquanto colocava uma pesada capa para ir até o outro aposento coberta*
- Quem é você, senhor mascarado..?

Narrador
*A garota Ingrid estava vestida apenas com trapos e trajava uma coleira de metal. Olhava para o chão na maior parte do tempo, e fez apenas um movimento com a cabeça quando Lyanna lhe agradeceu. O mascarado riu ligeiramente com a pergunta dela, respondendo com a voz abafada.* Acredito que não faria nenhuma diferença saber minha identidade agora, faria? Fique tranquila, milady. Nós não nos conhecemos, isto seria impossível. Você é apenas alguém que estava no lugar errado e na hora errada. Um peão que foi colocado neste jogo perigoso para cumprir uma tarefa. Agora concentre-se em sua missão, pois ela vale a sua vida e a de seus homens.

*O que ele disse por último se confirmou. Ao sair daquela cela, Lyanna pôde observar o resto do calabouço. Havia seis celas contando com a dela, mas apenas quatro de seus soldados. Onde estava o quinto? Ele não havia mencionado os soldados até aquele ponto, mas agora ficava claro que, se ela falhasse em sua missão, a vida deles seria tomada além da dela. O mascarado também não revelou em nenhum momento como ele sabia que ela era filha de um lorde do norte ou a rota que ela percorria no momento da captura.*

*Mesmo que ela tivesse mais perguntas, seria levada para o andar superior. Tratava-se de um pequeno castelo, do tipo que um barão poderia comprar. Não era gigantesco e nem muito luxuoso, porém cumpria seu papel de esconder as operações nefastas que ocorriam ali. Ao andar pelos corredores, Lyanna observava homens levando caixas e mais caixas de armas e equipamento bélico em geral. Em outra sala, um grupo de serventes amassava e misturava ervas de diferentes tipos, criando um aroma estranho e incômodo. O resultado final era embalado, encaixotado e depois levado para fora. Era claramente uma fronte para operações ilegais.*

*Subiram mais um lance de escadas e adentraram um aposento à direita no corredor. Ingrid deixou o vestido dobrado sobre a cama, enquanto outras serventes traziam a água quente para o banho. Olhando Ingrid mais de perto, Lyanna notavas algumas marcas de violência, como hematomas no rosto e braços.*


Última edição por Admin em Seg Set 01, 2014 4:18 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 407
Data de inscrição : 13/01/2014

Ver perfil do usuário http://novaordemrenegada.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A missão de Lyanna Stark (Descontinuado)

Mensagem por Admin em Seg Jul 28, 2014 4:28 pm

Lyanna
*Assim que podia reparar melhor na garota ficava surpresa ao ver a condição em que ela estava e a coleira de metal. Em seu reino e em muitos outros do continente a escravidão já havia sido abolida mas ainda existiam alguns lugares que lucravam com o tráfico de escravos e com o uso daquela mão de obra principalmente para agricultura e mineração. Sentia-se incomodada com aquela situação e olhava para o homem mascarado com desconfiança, tentando imaginar quanto dinheiro ele ganharia com todos aqueles crimes para que fossem justificáveis para seu trabalho.*

*Quando ouvia a resposta misteriosa dele e sua menção aos seus homens, Lyanna levava uma mão aos lábios e sentia o rosto empalidecer um pouco ao finalmente se lembrar de sua guarda. Realmente havia esquecido deles e sentia uma pontada de culpa e nervosismo por saber que não apenas a sua vida estava em risco. Agora aquela missão tenebrosa tinha um peso muito maior e uma responsabilidade gigantesca. É claro que passara por sua mente a ideia de que tudo aquilo fosse apenas um blefe do homem e que pudesse estar apenas se aproveitando de sua posição nobre para alcançar seu objetivo, mas felizmente sua vida e a de seus guarda valia muito mais que uma simples dúvida ou orgulho.*

*Conforme seguia a garota e saía de sua cela, via alguns de seus homens presos e suspirava, desviando o olhar ao sentir-se angustiada com aquela visão. Cautelosa, prestava atenção no caminho que tomava para ir até o aposento designado e observava com curiosidade as atividades que decorriam dentro castelo pois nunca vira nada parecido. Assim que chegavam, a jovem nortenha entregava a capa para Ingrid e ia até a banheira que já estava quase cheia de água quente. Sentia um alívio enorme e um arrepio pela diferença de temperatura, confortando-se com aquele calor. Recebia a ajuda das outras servas durante o banho e para se vestir, preocupada em não se demorar muito graças ao seu prazo apertado.*

Narrador
*As servas deram-lhe o banho em completo silêncio, como se fosse proibido falar naquele lugar. Assim que o vestido foi colocado, ela foi guiada por Ingrid até uma outra sala, onde o mascarado já aguardava. O homem misterioso apontou uma cadeira a ela ao centro da sala, que ficava à frente de uma mesa de madeira. Ele sentou do outro lado da mesa e falou.*

Muito bem, vamos aos detalhes de sua tarefa. Você deve encontrar um homem chamado Lei Keylosh em Lagus. Aqui está um desenho aproximado de suas feições. *O mascarado colocou um papel onde havia um desenho de um homem de aparentes 35 anos, com barba e cabelo grandes e loiros, e os olhos azuis. O mascarado continuou, colocando um pequeno frasco com um líquido vermelho sobre a mesa.*

Você deve encontrá-lo na cidade e fazer com que ele beba isto. Não importa como. Misture em sua bebida, nocateie-o e coloque em sua boca, não importa. Este líquido deve entrar no corpo dele de qualquer maneira. A julgar pelo passado dele, deve ser bem conhecido lá, até porque a cidade é pequena. *Ele debruçou-se sobre a mesa, fitando-a de maneira mais incisiva com aquela máscara que, apesar de ter furos para os olhos, não era possível ver os dele.*

Quebre este frasco, jogue o líquido fora, avise-o do plano, tente fugir ou falhe de qualquer outra maneira, e sua vida e a de seus homens se encerrará. Fui claro, milady?

Lyanna
*Já pronta e arrumada, seguia Ingrid até a outra sala e então sentava-se graciosamente na cadeira, fitando o homem mascarado com atenção. Mantinha a postura perfeita como uma verdadeira dama deveria se portar e as mãos suavemente pousadas sobre o colo. Quando ele lhe entregava o desenho do homem, pegava o papel com cuidado e o observava, arqueando as sobrancelhas ao perceber como era bonito.*
-Hm.. está bem..
*Olhava de relance para o frasco de líquido vermelho e engolia em seco, um pouco nervosa. Então ouvia sua tarefa e voltava a fitar aquele homem, ficando boquiaberta e corando*
- O que?? Eu achei que deveria apenas entregar-lhe o frasco! Como quer que eu o faça beber..? Sou uma dama, senhor, não frequento bares ou tavernas!
*O fitava com o semblante sério e com preocupação que aquela missão oferecia. Quando o via se debruçar sobre a mesa, inclinava o corpo um pouco para trás e prestava atenção naquela ameaça, sentindo-se intimidada.*

Narrador
Use sua imaginação. *Respondeu o mascarado de imediato.* Ele é conhecido por ter uma certa fraqueza em relação ao sexo oposto. Dizem que possui vários filhos de várias mulheres diferentes. Você possui atributos suficientes para ludibria-lo. Ele deve passar a maior parte de seu tempo bebendo, portanto, não será tão difícil. *O mascarado se levantou, caminhando pela sala.* Caso ele não estiver na cidade, você deve voltar imediatamente e então faremos um novo plano. Caso ele esteja, você tem 48 horas para cumprir a tarefa.

*O mascarado parou, colocando as mãos atrás das costas.* A carruagem com a carga está intacta e esperando no lado de fora. Invente alguma desculpa pelo fato de não ter chegado com seus homens, mas não atraia ninguém até aqui. Agora vá, Lyanna Stark. *Lyanna nunca havia falado seu próprio nome a ele. Como ele poderia saber o nome dela, se havia dito que eles não se conheciam antes daquele dia?*

Lyanna
*Mantinha-se sentada na cadeira, ouvindo aquelas informações atentamente. Respirava fundo e começava a imaginar como faria aquilo, tentando traçar um plano inicial em sua mente. Observava o homem mascarado enquanto ele falava, balançando levemente a cabeça em negativa, imaginando como teria se metido naquela encrenca tão facilmente. Quando recebia a informação que chegaria no vilarejo sem seus homens ficava mais nervosa e aflita com o sucesso daquela "missão".*
- Sem meus homens..? Como poderei ser protegida desta maneira? E se for atacada ou saqueada durante a viagem? Isso não está certo!
*Se levantava e fitava-o com surpresa ao ouvir ele falar seu nome. Em sua memória tentava resgatar algum momento em que tivesse lhe dito ou que seus homens a tivessem chamado mas não encontrava nada. Bom, seria apenas mais um mistério que envolvia aquele homem estranho.*

Narrador
*Ainda de pé, o mascarado respondeu.* Lagus está próxima. A partir deste ponto, as ruas são vigiadas pela guarda de lá. De qualquer maneira, um dos meus homens a seguirá de modo furtivo para garantir que você chegue e que não fuja. Agora vá! *Ele apontou para a porta, enquanto Ingrid adentrava a sala e fazia um sinal para que Lyanna a seguisse. O mascarado não responderia mais nada. Ingrid preparou uma bolsa de couro para Lyanna que continha o frasco com o líquido e o desenho do homem que ela deveria encontrar, além dos objetos que ela já trouxera de seu reino, como o documento com o selo oficial de sua família e a permissão para realizarem transações comerciais.*

*Ingrid a guiou até o veículo que estava parado em frente ao pequeno castelo e, antes que Lyanna subisse e assumisse as rédeas dos dois cavalos, Ingrid murmurou a ela.* Milady, por favor, tente buscar ajuda. Eu sou escrava neste castelo juntamente com outras quinze pessoas. Por favor, tente nos ajudar. *Uma voz masculina a interrompeu. Era um dos homens do mascarado.* Basta! Volte para dentro, servente! E você, parta agora! *O homem bateu em um dos cavalos com uma tira de couro e o veículo partiu bruscamente, não deixando muitas opções para Lyanna a não ser controlar o veículo da melhor maneira que podia. Ninguém tentou esconder o caminho do covil de Lyanna, já que ela deveria voltar para lá depois de cumprir a missão. O mascarado confiava na defesa de seu reduto ou tinha certeza que havia amedrontado e chantageado Lyanna o suficiente para que ela não o traísse. Assim sendo, Lyanna seria capaz de refazer o caminho até aquele local facilmente.*

*Não demorou muito até que Lyanna avistasse o primeiro posto da guarda enquanto avançava na estrada, conforme o mascarado havia dito. Ainda faltava um bom trecho até Lagus, e nenhum guarda a faria parar. Ela era apenas mais uma viajante em meio a tantos outros na estrada, mostrando que Lagus tinha uma movimentada rota de comércio. A partir dali, o andamento da missão dependia de Lyanna. Ela tinha liberdade para tentar avisar um guarda, falar com algum outro viajante, seguir com a missão, ou qualquer outra alternativa que desejasse.*

Lyanna
*Respirava fundo ao receber aquelas últimas instruções. Não se sentia muito confiante com aquela resposta mas não tinha outra opção naquele momento. Lady Lyanna seguia Ingrid conforme a guiava até o veículo em silêncio, pendurando a bolsa no ombro. Amarrava sua capa novamente ao pescoço e colocava o capuz para se cobrir durante a viagem, quando era surpreendida pelo pedido de socorro da serva. Sentava-se devagar e a olhava com um misto de surpresa e preocupação. Prestes a lhe responder, ouvia a voz de um dos homens do mascarado e então dava-lhe apenas um aceno de cabeça rápido, com um pequeno sorriso*

*Segurava as rédeas com firmeza quando o homem batia em um de seus cavalos, controlando rapidamente o veículo e os animais. Dava uma última olhada para trás para fixar aquele lugar em sua memória e então voltava a fitar o caminho a sua frente. Continuava sua rota pela estrada principal, perdida em pensamentos para começar a traçar um plano. Logo passava por um posto de guarda e respirava fundo, tentada a pedir ajuda. Não tinha como saber se estava realmente sendo seguida por um dos homens do mascarado, mas seus instintos lhe diziam que ele não estava blefando e que não deveria correr aquele risco desnecessário. Faria o que fosse possível e o mais rápido que conseguisse para resgatar seus homens em segurança e talvez até conseguisse libertar aqueles pobres seres escravizados. Então continuava o resto de sua viagem em silencio, ansiosa para chegar logo em Lagus*

Narrador
*Bastava apenas que Lyanna guiasse o veículo através daquela estrada, que ficava mais e mais cheia conforme se aproximava de Lagus. Em pouco tempo ela avistaria os muros da pequena cidade, que se formou ao redor de um grande lago. Ela teria que pegar uma pequena fila que passava pelos portões da cidade. Havia todo tipo de pessoa ali, inclusive seres de outras raças. Alguns fitavam Lyanna e seu veículo por mais tempo, mas era impossível dizer se eram agentes do mascarado ou apenas curiosos.*

*Quando chegou sua vez, o soldado a fez parar em frente aos portões. Aproximou-se e a fitou, falando sem muito entusiasmo, já que fazia aquilo com todos os veículos, todos os dias.* Seja bem vinda à Lagus, milady. Qual seu assunto na cidade?

Lyanna
*Ficava muito impressionada com a quantidade de pessoas que trafegavam pela estrada ao seu lado e em fluxo contrário, mas a verdadeira surpresa acontecia quando ela chegava finalmente na cidade e dava de cara com seres que nunca vira na vida mas que lembravam muito os humanos. Muito impressionada, olhava tudo ao redor com atenção e mal percebia quando chegava sua vez na checagem de segurança. Lyanna balançava levemente a cabeça para voltar à realidade e fazia um pequeno aceno com a cabeça para cumprimentar o guarda, esboçando um pequeno sorriso*
- Obrigada..! Sou Lady Lyanna Stark e venho de Winterfell para supervisionar algumas transações comerciais em nome de Lord Stark.
*Mostrava-lhe o pergaminho oficial com o selo da família Stark e esperava que ele verificasse tudo que fosse necessário para liberar sua passagem.*

Narrador
*O soldado pegou o pergaminho, mas não abriu. Chamou outro homem, que parecia ser seu superior. Este homem, sim, rasgou o selo feito com cera quente e leu o pergaminho. Em seguida checou o veículo, observando o brasão Stark na manta pendurada do lado de fora e também nos panos sobre os cavalos. Fitou Lyanna, dizendo.* Seja bem vinda, Lady Lyanna. Lorde Rickard nos avisou sobre sua visita. Por favor, aguarde um momento enquanto os homens checam a carga. É um procedimento de rotina. Milady veio sozinha? Não vejo escudeiros ou cavaleiros acompanhantes. *Enquanto ele esperava a resposta dela, outros dois soldados ergueram o tecido que cobria o conteúo da carroça. Teria o mascarado colocado algo ali? Se fosse o caso, seu disfarce estaria arruinado.*

Lyanna
*Sorria levemente para o superior do soldado quando ele recebia a carta e a cumprimentava. Educadamente, Lyanna acenava com a cabeça para ele e fazia um pequeno sinal com a mão, indicando que eles poderiam revistar sua carroça livremente. Ficava um pouco nervosa ao ouvir a pergunta dele, mas tivera algum tempo para ensaiar aquela resposta, respondendo-lhe de forma natural*
-Sim, claro..! Meus homens tiveram alguns problemas na última parada, mas já estão a caminho para me acompanhar na viagem!
*Permitia que eles examinassem a carga sem preocupação. Nem lhe passara a ideia que o Mascarado pudesse ter escondido algo ou ter criado uma armadilha.*

Narrador
*Os homens terminaram de checar a carga e voltaram a seus postos. O superior respondeu.* Infelizmente não temos homens suficientes para enviar uma equipe de buscar, Lady Lyanna, mas, caso eles não voltarem até o anoitecer, faremos uma excessão. Pare o veículo naquela área *Ele apontou com o dedo* e providenciaremos as moedas de ouro e a carga de troca prevista no acordo. Acredito que as acomodações de Lagus serão do seu gosto. Amanhã já estará tudo pronto. Abram passagem!

*Dito isto, os soldados permitiram a entrada dela através dos portões da cidade. Ela poderia encostar o veículo no local indicado e um soldado a ajudaria a descer. Havia uma rua principal que cortava toda a cidade e no começo dela a famigerada taverna de Lagus, local de encontro principal daquelas comarcas. A taverna era espaçosa e tinha dois andares, mostrando que também possuía quartos. Ao final da rua e visível de qualquer ponto da cidade estava um enorme templo, de onde saía e entrava clérigas a todo instante.*

*Ao longo de toda a rua estavam mercadores com suas barracas, que gritavam anunciando seus produtos. Havia de tudo um pouco ali, desde comidas exóticas até souvenirs de diferentes naturezas. Lyanna era livre para explorar o local da forma como quisesse.*

Lyanna
*Prestava atenção nas orientações do superior e sorria levemente, fazendo um pequeno gesto de cabeça em agradecimento*
- Obrigada, mas não será necessário enviar uma equipe de busca! Tenho certeza que logo eles chegarão!
*Guiava o veículo para adentrar na cidade e estacionava no local indicado por ele. Delicadamente aceitava a ajuda do soldado para descer, apoiando a mão sobre a dele. Dava-lhe uma moeda de prata para garantir que seus cavalos fossem bem tratados e ia até eles, fazendo um pequeno carinho nos animais queridos para se despedir. Então se afastava do veículo e olhava para a grande rua principal, cheia de oportunidades e lugares a serem explorados.*

*Com um pequeno suspiro e um sorriso nos lábios, Lady Lyanna abaixava o capuz de sua capa e ia caminhar um pouco pelo mercado para esticar as pernas e conhecer um pouco mais da cidade. O primeiro local que via era a taverna e um pequeno nó se formava em sua garganta ao se lembrar de sua missão sombria. Como queria ser o mais discreta possível, iria no momento em que estivesse mais cheio, ao anoitecer. Assim teria mais chances de encontrar sua suposta vítima e chamaria menos atenção.*

*De longe, no final da rua, conseguia ver o prédio em que seus aposentos estavam reservados pela noite por seu pai. Iria lá primeiro para se certificar que estava tudo certinho. Andava por entre diversas barracas, observando tudo com curiosidade e um sorriso, surpresa com o tamanho e agitação daquela cidade tão diferente da calma e tranquilidade de Winterfell.*
- Nossa... esse lugar é incrível!

Narrador
*Após passar pela agitação da rua principal, ela avistaria a estadia requintada. Ao adentrar, deparou-se com um primeiro balcão, onde havia uma recepcionista. Lyanna logo reparou nas orelhas pontudas da moça: Era uma elfa. Aparentava seus dezoito anos, mas, considerando a longevidade de sua raça, sua verdadeira idade era bem maior. Ela sorriu para Lyanna e disse.*

Seja bem vinda, milady! Veio para pernoitar ou tem reserva? Oh, espere! Conheço este lobo! *Disse ela, observando qualquer coisa em Lyanna que tivesse o símbolo de Winterfell. Ela revirou algumas páginas de um grande livro sobre o balcão e concluiu.* Lyanna Stark de Winterfell, correto? Possui um aposento reservado a pedido de Lorde Rickard. Sua chegada estava prevista para ontem, milady! Houve algum imprevisto?

Lyanna
*Ficava surpresa ao reparar que a moça era uma elfa, já que nunca tinha visto uma. Por ter passado praticamente a vida toda no Norte, só conhecera humanos como si mesma. Sabia da existência de outras espécies e estudara um pouco sobre elas com seu tutor, mas encontrar uma ao vivo era completamente diferente e especial. Lyanna arregalava um pouco os olhos e entreabria os lábios com um sorriso de admiração, perdida em seus pensamentos por alguns segundos. Ao voltar pra "realidade", balançava levemente a cabeça e corava por sua distração. Era pega de surpresa mais uma vez ao ver que ela reconhecia o brasão de sua família no broche que prendia sua capa, esboçando um sorriso maior*
- Ah.. O-obrigada! Sim, sou eu! Tive alguns problemas na estrada que me atrasaram um pouco, mas já está tudo resolvido agora. Bem.. vim apenas para confirmar a minha reserva no momento, ainda quero conhecer melhor a cidade antes de descansar. A senhorita me recomenda algum lugar em especial?
*Conversava de forma gentil e educada, fitando a jovem elfa com o sorriso sempre presente*

Narrador
Claro, milady! Seu quarto já está pronto. Qualquer bagagem que tenha trazido será levada até lá, exceto, claro, bolsas de mão e outros objetos pessoais. *A elfa de cabelos loiros parou por um momento, pensativa, e respondeu.* Bem, milady, a nossa principal atração é mesmo a taverna, ponto de encontro principal destas comarcas. A cidade foi erguida ao redor dela, tamanha é sua importância! Mas ela é deveras agitada. Caso desejar algo mais tranquilo, temos o lago, que é lindo nesta época do ano, ou o Templo de Marah, que fica no final da rua principal. É um bom lugar para quem quer rezar ou apenas ficar um pouco em silêncio.

*Ela apontou a porta do estabelecimento, completando.* E, claro, temos nossos mercadores. Comerciantes vindos de todas as partes do reino. Aqui você encontra de tudo! Ah... *A elfa fez uma cara insatisfeita, falando mais baixo.* Não compre nada do senhor Hopkins... Aquele velho é um tarado e as louças dele são sujas... *A elfa voltou ao normal como se não tivesse dito nada.* Milady, fique à vontade! Espero que aprecia sua estadia em Lagus!

Lyanna
*A dama Nortenha escutava as recomendações da elfa com atenção e um pequeno sorriso nos lábios.*
- Hm, entendo.. obrigada! Mais tarde eu voltarei para dormir então!
*Com um suave aceno de cabeça para cumprimenta-la, saía daquele edifício e voltava à agitada rua de Lagus. Caminhava um pouco para se afastar e adentrar a rua. Com cuidado, pegava em sua bolsa o retrato de Lei Keylosh e o estudava mais uma vez para fixar aquele rosto. Lyanna suspirava e logo voltava a guardar aquele papel para passear um pouco pelo mercado.*

*Passava pelas barracas calmamente, admirando os artefatos exóticos que eram vendidos ali e seres tão diferentes que passavam por ela. Curiosa, via uma barraca com flores diferentes e um sorriso maior invadia seu rosto. Impulsionada por sua paixão pelas flores e pela curiosidade, se aproximava da barraca e abria levemente os lábios ao ver as suas preferidas: as rosas azuis de Winterfell. Não fazia ideia que elas eram comerciadas também, pois apenas as via em sua estufa no jardim do castelo.*
-Nossa.. são tão lindas...! Boa tarde, senhor.. estas são as rosas invernais do Norte?
*Se dirigia ao comerciante com um adorável sorriso, animada por ver suas flores preferidas tão longe de casa*

Narrador
*O homem, que era humano e aparentava ter meia-idade, fez uma reverência para Lyanna e respondeu.* Boa tarde, milady! Vejo que tem bom olho ou é apreciadora de rosas! Sim, estas são as rosas azuis de Winterfell! Elas são trazidas por... *Só então o homem notou o broche de Lyanna.* Ora, você é de lá! Não é à toa que conhece! Recebo rosas de todos os lugares, mas devo admitir que as rosas de Winterfell são as mais belas. *Ele prosseguiu, sem saber de quem Lyanna era filha.* Eu as recebo de um senhor chamado Thomas, que tem uma plantação lá. Ele sempre fala bem de Winterfell, mas ainda não tive o prazer de conhecer. Talvez um dia. Aqui está, em homenagem à sua terra, um presente meu. *O homem entregou uma das rosas à Lyanna e depois disse.* Se houver qualquer coisa que eu puder fazer para milady, é só dizer.
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 407
Data de inscrição : 13/01/2014

Ver perfil do usuário http://novaordemrenegada.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A missão de Lyanna Stark (Descontinuado)

Mensagem por Admin em Qui Jul 31, 2014 4:49 pm

Lyanna
*Sorria um pouco mais por ver que era reconhecida novamente pelo broche da família Stark. Balançava a cabeça suavemente em concordância, reconhecendo o nome de Thomas facilmente pois era o jardineiro de sua família. Ao receber a rosa do mercador, abria um adorável sorriso de surpresa, abrindo levemente os lábios*
- Ah, muito obrigada, senhor! É muito gentil..!
*Estendia a mão e pegava com cuidado a flor, levando ao nariz para sentir o delicioso perfume que tanto lhe lembrava de casa. Lyanna deixava escapar um suspiro e sorria, fazendo um pequeno movimento de cabeça numa breve reverência de agradecimento*
- Se algum dia tiver a oportunidade de ir a Winterfell será muito bem vindo e o levarei pessoalmente para conhecer nossa estufa!
*Após se despedir, afastava-se da barraca das flores e voltava a caminhar pelo mercado. Colocava a rosa presa perto do broche da capa e logo sentia a barriga roncar, lembrando-se que não comia há muito tempo. Olhando para o céu, via que o sol começava a se por e então decidia ir logo até a taverna para comer alguma coisa e com sorte encontraria logo Lei Keylosh.*

Narrador
*O homem ficou feliz com o convite, prometendo ir a Winterfell assim que tivesse a oportunidade. A taverna era grande, muito grande para o tamanho da cidade, quase como se ela fosse mais importante do que a própria cidade. Lyanna ficaria realmente surpresa ali, dada a quantidade de seres de raças diferentes presentes em um só lugar. Logo que passou pela porta, um orc grandalhão esbarraria nela e sairia sem nem pedir desculpas. Logo perto do balcão havia um elfo conversando e bebendo com um anão, em uma cena improvável e pitoresca. Mais alguns passos e uma pequena fada passaria voando próxima a ela. Era algo realmente surpreendente, principalmente para Lyanna que não tinha contato prévio com aqueles seres.*

*Caso ela se sentasse à uma das mesas, uma jovem humana a atenderia e traria o que pudesse a ela. Algumas comidas servidas pela taverna incluíam assados de diversos animais, pão, queijo, mel e, claro, as bebidas, como sucos da estação e os eventuais rum, vinho e hidromel. Por mais que olhasse ao redor, não avistaria o homem da ilustração em lugar algum do estabelecimento. Era de se supor que, se o homem realmente tivesse o hábito de beber, ele estaria presente à noite. Então, bastava que Lyanna aguardasse algumas horas ali até que a noite caísse e as velas do local fossem acesas, dando um clima diferente mas não menos estranho ao lugar.*

*A paciência de Lyanna seria recompensada. Um grupo de homens adentrou a taverna a certa hora da noite. Sentaram-se nas banquetas em frente ao balcão e pediram suas bebidas. Todos pediram vinho, exceto por um deles. O taverneiro trouxe cinco canecas de hidromel de uma vez para o homem. Ele tinha um longo cabelo loiro preso em uma única trança e as laterais da cabeça raspadas, formando um moicano. Também possuía uma grande barba ligeiramente descuidada. Estava diferente em relação à ilustração, mas definitivamente era ele: Lei Keylosh.*
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 407
Data de inscrição : 13/01/2014

Ver perfil do usuário http://novaordemrenegada.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A missão de Lyanna Stark (Descontinuado)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum