Prólogo: Consequências (Encerrado)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Prólogo: Consequências (Encerrado)

Mensagem por Admin em Qua Set 07, 2016 4:23 am

[Resumo: Sieg Hart compartilha com Lei Keylosh suas descobertas sobre Jason Keylosh e sua aliança com Kalekrasi, a Ceifadora.]


Prólogo dos acontecimentos futuros...
Enquanto Lei fazia a ronda pela cidade (ou dava um tempo para que Minami se acalmasse ou pegasse no sono depois da ultima coisa que ele fez para irrita-la) ao passar pelo local que era a residência de Sieg era atraído pelo que parecia ser a voz de Sieg Hart gritando. Ao que entrasse pela porta, poderia ver o sacerdote olhando na direção de uma série de simbolos arcanos em duas lousas de cristal, enquanto Lilandra mantinha seu semblante calmo:
- Isso NÃO PODE estar correto! Simplesmente NÃO PODE!!
- Eu verifiquei as equações duas vezes...
- Lilandra, tudo esta certo: Hatsuko conseguiu se casar, Lei teve três filhos, até mesmo a COR do seu cabelo esta correta, os eventos todos batem de forma que essa linha do tempo não devia...
E parecia se aproximar dos símbolos, que se iluminavam e medida que ele os olhava com atenção. Lei tendo seus conhecimentos arcanos, identificava como sendo runas magicas usadas normalmente em grimórios, mas as de Sieg sempre pareciam sempre conter simbolos desconhecidos.
- Eu posso pintar meu cabelo se auxiliar em algo...
Lilandra passava a mão pelos longos cabelos azuis no que devia (ou não) ser uma piada. Sieg balançava a cabeça:
- Não...Existe algo errado. Algo fora do lugar, alterado, corrompendo essa linha temporal. Conhecimentos como os meus usados de forma errada. Alguma idéia Lei?
Apesar de ser difícil de saber quando o sacerdote havia percebido o amigo, o olhar de Sieg podia ser visto pelo reflexo da lousa. Lilandra parecia ter percebido o barbudo apenas agora, e ambos esperavam uma resposta...

Lei Keylosh
*Lei sabia que tinha liberdade para visitar Sieg a qualquer momento, mas geralmente o barbudo avisava o guardião ao encontrá-lo na rua ou simplesmente fazia algum barulho para saberem que estava entrando. Naquele dia, entretanto, Lei ficou tão surpreso e preocupado com o tom de voz de Sieg que entrou diretamente. Lei tentava fazer algum sentido do que Sieg dizia e das runas mágicas, achando que sua presença no recinto ainda não havia sido notada. Por isso a surpresa do barbudo foi tão grande quando Sieg lhe indagou:*

- Hã?? Eu não... O quê?? Desculpem-me, eu devia ter avisado quando entrei, mas eu fiquei tão surpreso que... - Meio tarde para cumprimentos. Lei fez apenas um aceno de cabeça para Lilandra e depois para Sieg, se aproximando:

- Sinceramente, eu não tenho ideia do que está falando, Sieg... Estas são runas de grimórios, não? Contendo símbolos modificadores de alguma língua que desconheço, ou você criou uma linguagem própria? De qualquer maneira, qual é o problema, meu amigo? O que quis dizer com "conhecimentos como os seus usados de forma errada"?

Sieg Hart
Lilandra erguia uma das mãos, em um aceno "robótico" caracteristico. Sieg entretanto soltava o ar dos pulmões com força, para em seguida mover a cabeça em uma mistura de "sim" e "não".

- Um pouco dos dois na verdade...Esta é a sua linha do tempo, os relatos de cada evento até aqui, ou ao menos o que estava analisando. Alguns são "emprestados" de idiomas arcanos que conhecemos: "Luz", "Dia", "Vida", "Ar". Mas certos simbolos são modificados...Ou qualquer um teria acesso as informações.

Nada de estranho até ali. Lei olhando melhor poderia identificar sua própria Runa, certamente representando o barbudo. Sieg caminhava analisando as lousas e Lilandra falava:

- Que Sieg Hart quer dizer é que diante de você estão todos os eventos que nos guiaram até esse ponto. Parece confuso mas, o "presente" é um resultado direto de suas ações e decisões. Ou não estaríamos aqui, é bem simples na verdade. Existem "linhas" onde acontecimentos feitos diferentes resultam em futuros diferentes, jornadas diferentes...A linha segue seu rumo natural, entretanto uma vez que algo, ou alguem sabe dos resultados pode muda-la, ou melhor corrompe-la. Se soubesse que o confronto final com seu irmão o guiaria ao caminho do mal, poderia agir diferente e evitar isso. Mas poderia acabar com a "ordem natural", e corromper essa linha do tempo...Provavelmente destrui-la.

Somente Lilandra usaria um exemplo daqueles. Talvez uma das piores lembranças para Lei...

Lei Keylosh
*Lei permaneceu olhando para os símbolos, as mãos apoiadas na cintura, enquanto ouvia as explicações e fazia pequenos afirmativos com a cabeça. De fato, o exemplo de Lilandra foi péssimo, fazendo o barbudo abaixar a cabeça por alguns segundos, tentando evitar a própria mente de trazer à tona aquelas lembranças. Por fim, ele apenas pigarreou levemente e respondeu:*

- Certo, até aqui eu entendi. Está querendo dizer que alguém também tem o poder de viajar no tempo e está tentando alterar ou destruir uma destas linhas temporais? Ou mais precisamente, aquela em que vivemos agora?

Sieg Hart
Sieg voltava a falar, ja que aparentemente Lilandra ainda tinha problemas em falar com pessoas:

- Esta conseguindo. Alguem de outra linha veio para essa e esta alterando fatos e ignorando o risco de partir a realidade. Até mesmo pequenos acontecimentos podem causar grandes consequências...O curioso é que o simbolo que a representa...É dificil de compreender. Eu não sei explicar exatamente mas ele se repete por varias vezes, eu o traduziria como...'Morte"

Sieg apontaria para Lei o simbolo que se repetia por diversas vezes, eles ficavam mais claros antes de que ele seguisse com as explicações:

- Acredito que isso seja de seu interesse...Porque isso envolve diretamente alguem que lhe é bastante...Familiar.

Sieg Hart apontava uma runa próxima ao simbolo da Morte, aquele simbolos aparecia varias vezes próximo ao anterior. Entretanto, Lei conhecia aquele simbolo porque ele era muito parecido com a Runa Arcana que representava o nome do barbudo quando necessário. Mas não era exatamente igual.A voz de Lilandra logo exclareceria com objetividade:

- Jason Keylosh

Lei Keylosh
*Lilandra havia tirado o dia para trazer más notícias para Lei. Ao ouvir o nome do filho, o barbudo suspirou pesadamente, fazendo um negativo com a cabeça:*

- Ahh, diabos... Eu não esperava que o nome dele ressurgisse tão cedo. Depois que ele fugiu da Cidade Imperial, eu tinha esperança de que sumisse ou pelo menos ficasse longe de encrenca, pois era procurado em Terânia. Mas o que isso significa exatamente? A runa da Morte ao lado da dele significa que morreu? Ou será que esta runa refere-se à Linda Morte, aquela que apareceu no Diário do Lago recentemente? Acha que os dois estão envolvidos?

Sieg Hart
Sieg e Lilandra balançavam a cabeça negativamente quase que ao mesmo tempo, mesmo que o sacerdote não percebesse. Logo o mesmo voltava a falar:

- Se eu não sei o que significa, o nome dela não é conhecido Lei. Seu filho esta bem vivo...E alguém tem um plano que envolve ele. Essa...Pessoa não quer se envolver diretamente, mas esta dando ao seu filho tudo que ele sempre quis...Poder. é um jogo discreto, pequenas peças sendo movidas tão cuidadosamente que até agora não havia observado. Ela instrui, mas não interfere. Entretanto...Se continuar assim Jason se tornara uma ameaça que não podera ser detida. E lamento prosseguir com as boas noticias mas...Ja estamos atrasados.

Lilandra parecia olhar para outra lousa. Aquele "monte de runas" para ela era simples e facilmente interpretado, que era como se ele lesse o que estava escrito:

- Tal ser é uma anomalia, tanto que ela sabe disso e se mantem oculta. Existem outros detalhes irrelevantes, mas sabemos com certeza que ela é extremamente perigosa. Ela não pode ser "eliminada", por alguma razão que não entendemos...

Lei Keylosh
- Uau, Sieg... Realmente uma avalanche de boas notícias! - Lei começou a andar de um lado a outro da sala, coçando a cabeça. - Isso não é nada bom... Eu gosto de inimigos que possam ser eliminados! O que mais sabemos sobre essa anomalia? Você está falando desta coisa como se fosse uma pessoa, mas pode ser qualquer coisa, certo? Uma força maligna, um espírito, um artefato que Jason conseguiu... Como sabemos se isso sequer tem forma física?

Sieg Hart
- De uma forma ou de outra, ela tem uma forma fisica, isso eu posso garantir, mas talvez não explicar. *Sieg Hart suspirou e caminhou até a propria mesa sentando-se, tentando manter a calma e os pensamentos no lugar* - Eu..Vou precisar intervir, antes que seja tarde demais. Seria interessante que verificasse com homens e mulheres que queira levar nessa jornada. Nada de exercitos por favor

(Entenda-se " Lei Keylosh, veja quem esta interessado em se juntar a nos com um personagem cada)

E mesmo com a frase aparentemente ainda em aberto, Sieg não parecia ter mais nada a acrescentar

Lei Keylosh
*Lei fez um afirmativo com a cabeça para Sieg, dizendo:*

- Você está certo, nada de exércitos, até porque, não temos um disponível. Seria arriscado levar soldados daqui, primeiro porque eles não possuem treinamento para encarar uma ameaça desssas, e segundo porque precisamos manter Mathesis protegida contra novas ameaças como aquela Linda Morte. Aliás, lembra-se que havia uma arqueira muito boa em Terânia chamada Linda Morte? Será que...? Não, é impossível ser a mesma... Deve ser apenas uma coincidência.

*Lei se despediu então, indo se preparar para viajar com Sieg. O passo mais difícil era se despedir de Minami, que precisava ficar na cidade para cuidar dos trigêmeos. De qualquer forma, Lei estaria pronto para partir quando Sieg desejasse.*
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 406
Data de inscrição : 13/01/2014

Ver perfil do usuário http://novaordemrenegada.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum